quarta-feira, 21 de junho de 2017

A Plenos Pulmões, sarauê, sarauá, no I Love Laje vamos sarauzar!

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

Chegou a hora, chegou chegou! 

Minha alma pede calma

Minha calma pede alma

A jugular lateja...

Poetas do Tietê!!!!

O I Love Laje tá duplex!

Não é gel e nem gumex...

Mas liga...


Um espaço da cultura na periferia

Voltado a literatura, ao teatro...

Ao bate bola na várzea...

Vídeos e fotografias...

I Love Laje é trincheira, resistência onde a poesia faz morada...

Neste sábado, 24, às 18h, o Espaço de Convivência Social I Love Laje apresenta o Sarau A Plenos Pulmões...

...atingindo nesse mês a marca de 7 anos de incentivo 
à oralidade, à literatura periférica...

Casa nova pra gente curtir microfone livre...

E a presença de quem vier pra prestigiar...


I Love Love Love Laje!!!!

video



DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO

POESIA SEM MISÉRIA


A VÁRZEA É ARTE


A VÁRZEA É VIDA

PARTICIPE!

Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo







segunda-feira, 19 de junho de 2017

'Se faz o caminho ao andar', com Binho no Sarau da Brasa

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

Em caravana segue a poesia do Campo Limpo à Brasilândia.

No sábado, 10 de junho, partimos em dupla caminhada. 

Binho, Luam, Renato Kolla: olhares atentos bebem a magia do sarau.

Seguimos o trecho e a primeira parada do Sarau do Binho aconteceu na Casa de Cultura da Vila Brasilândia.

Binho Robson Padial agita as águas da literatura periférica desde anos 90...

O sarau multiplica o cultivo do poema falado e Jesuana é um exemplo disso.

E eu dou meu testemunho...

Poesia é arte de quem não tem idade...

Tambor, tambor vai buscar quem mora longe pra declamar nesse sarau...

É o Sarau da Brasa abrindo seus trabalhos...

...no Goiabeira's Bar, na rua Joaquim Ferreira da Rocha, 268, onde o Sarau da Brasa serve o alimento pra quem tem fome de quê... 

Arte das vozes, solidariedade, afeto, desejo, escuta, direito à crítica e ao convívio interracial, interativo e intergeracional...

...são apenas alguns dos ingredientes compartilhados ali em nove anos de resistência...

Nessa caravana também cabe o mote do Viandante - labirintos entressonhos, de Sonia R. Bischaim...

...fotógrafa e escritora  que, entre imagens e relatos, conta sua viagem  por personagens que em seus êxodos se entrelaçam...

...em uma trama ficcional típica da contemporaneidade. 

Michel Yakini, também fundador do sarau Elo da Corrente, de Pirituba...

é criador e criatura... poeta, professor, escritor... é lenha na fogueira quando o assunto é nóis...

Vagner Souza, eita! Poeta gente!

Fundador do Sarau da Brasa...

Guerreiro nas palavras de ação, microfone da arte aberto à comunidade...
 
Atraindo atenção geral, o poeta Binho no exercício de sua função...

Sarau é ponte que liga a escritura e a oralidade...

E proporciona momentos como esse entre a escritora Sonia...

...autografando sua obra poética Rua de trás, à leitora e poeta Alai Diniz, do I Love Laje...

Onde podemos apreciar o performático e periférico Marquinho Miranda...

...que, estudante de Letras, Artes e Mediação Cultural (UNILA)

...sabe como atrair os ouvintes para o poema de Marcelino Freire...

Ou ainda o Luam Luando e a sua grandiosa humildade de quem faz versos por amor e a necessidade em dize-los...

Aqui temos mostra de como o encantamento do sarau contagia a todos num átimo de segundo... 

Poesia!

A poética da periferia é compromisso...

Allan da Rosa, então jovem praticante de capoeira chegando no Sarau da Cooperifa... me lembro...

...hoje escritor poeta doutor nas andanças do palavreado rústico belo e verdadeiro...

Sarauê!

Shantal entre o pai Marlon e a mãe Raíssa, artistas que vão potencializando o futuro nessas andanças... 

Sarau é um ouvido democrático que estimula a convivência social através da poesia...

Seria um inca?

Djalma Pereira é nosso amigo poeta paraibano que declama Manoel de Barros...

...e atesta como se entrecruzam experiências interculturais neste frio de noite infestado de alegria...

Que porra é um sarau? Me perguntou o Bodão nos idos de 2001...

Aê, Pow Literarua apreciando o desenrole...

Nunca podia imaginar estar hoje na Vila Brasilândia, Sarau da Brasa...

Degustando poesia com poetas diferentes/iguais, de longínqua e mesma quebrada...

Com o Marlon respirando melodia na flauta Naf  de origem Cherokee, originária da cultura americana...

Ou o Catarina mandando ver com cantigas de um sertão nordestino que invade, acende e invoca a memória das ancestralidades...

E tudo começou com a leitura de nossos poemas...

Falando de nóis, de onde nossos pés pisam...

Oliveira e o amigo desconhecido que pediu pra fazer um selfie com ele...

E acabou virando uma história, poesia...

É só num sarau que vemos e sentimos tais momentos...

Foto pra Shantal curtir no futuro, quando tiver declamando versos que irão arrepiar o tio Binho...

Sarau é onde a brincadeira da poesia é coisa séria!


Confira no dizer do rap Renato Kolla...




Reportagem: Marco Pezão e Alai Diniz
Gravação de vídeo: Alai Diniz
Edição de vídeo e fotos: Marco Pezão

DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO

POESIA SEM MISÉRIA

A VÁRZEA É ARTE

A VÁRZEA É VIDA

PARTICIPE!

Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo




segunda-feira, 12 de junho de 2017

Quem chegar é bem chegado!

Sarau na periferia
é onde a brincadeira com a poesia (arte) 
é coisa séria!

sexta-feira, 9 de junho de 2017

Casarets partem pra um novo desafio: a Copa Delfino Santos

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

Após a intensa experiência da primeira participação no campeonato Taça Libertadores de Base, o time feminino das Casarets iniciará um segundo desafio, ao competir na Copa Delfino de Embu Guaçu...

Eita, calma, pessoal. Não será este time masculino o adversário das Casarets, não!  A foto é só pra mostrar o campo. Sem gramado...

Será o terrão o adversário desse jogo no domingo?  

Tendo a chuteira adequada, jogar no campo de terra não será totalmente novo para as Casarets... No mesmo Embú Guaçu, enfrentaram o Luvence em um terrão semelhante.

A garra e veemência com que jogam as meninas, desta vez  será testada no campo do Jardim Itararé.  

É certo que um campo desses imprime outro ritmo no jogo, mas o treinamento dará condições físicas pro time enfrentar essa nova parada, não é, Casarets? 

Em sua estreia na chave A as Casarets  enfrentarão o time do CDC Jardim Ibirapuera.

CONFIRA A TABELA DE JOGOS

 
Aí galera,  domingo, dia 11 de junho, às 14h30, Família Casarão volta à cena com a potência do novo desafio na Copa Delfino. Salve, garotas, vamos brilhar  nessa estreia de cabeça erguida?  

Confiança no time, no técnico e na preparação física dará a chance de sair na frente  nessa nova parada. É o que  a torcida espera de vocês. Vamos lá?  É nois!  

Texto:Alai Diniz e Marco Pezão
Agradecimentos a Cristiano pelo repasse das informações. 

DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO

POESIA SEM MISÉRIA

A VÁRZEA É ARTE

A VÁRZEA É VIDA

PARTICIPE!


Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo

quarta-feira, 7 de junho de 2017

No CDC SAPY, Festival de Handebol é calor humano!

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

O 1º Festival de Handebol do EC SAPY não bateu na trave. Foi, de fato, um sucesso!

Como não poderia deixar de ser, time feminino tem lá suas peculiaridades...

Nem sempre entra num jogo só pra ganhar uma taça ou troféu... 

Não é que se negue aqui o desejo de vencer...

Em qualquer peleja tá embutido o afã de se sair vitorioso...

...mas esse quadrangular foi bem além da bola na rede... 

O primeiro jogo teve a vitória do Handebol Lazer de Interlagos pela contagem 16 a 13 frente ao EC SAPY B...

Vencido o compromisso, o Lazer descansou e esperou o adversário para decidir quem ficaria com o troféu...

Em quadra elas são mais elas...

É o handebol do EC SAPY, que teve como campeã do Festival o seu quadro A.

O símbolo da conquista ficou ali mesmo no Sapy...  

Agora o jogo renderia muito mais, indo além dessa foto das vencedoras com alguns de seus filhos ...

Seja nesse sorriso franco de Desirée, direto pra câmera do I Love Laje...

Seja na disputa da bola onde Andreia arrisca o salto pro arremate ao gol...

Certamente chama atenção a garra de Andreia, dividida entre quatro gols marcados na quadra...

E os cuidados com Igor, de dois anos, ou amamentando Milena, nos intervalos...

E quanta paixão pelo handebol! 

Esse jogo coletivo criado por um professor alemão em 1919, que, em 1934, entra oficialmente para os Jogos Olímpicos...

É entusiasmante... após troca de passes o salto, o voo pra arremessar...

A goleira quis pegar a danadinha, mas não teve jeito: rede.

O handebol é jogado em 183 países...

E aqui na quebrada do Campo Limpo faz sua história no CDC do Parque Ipê (Sapy) desde 1978...

Abrindo espaço pra parceria com o coletivo Abraço pela vida, que através do Festival de Handebol...

...recebeu doações em alimentos e roupas que serão destinadas às instituições como a do Pq Santo Antônio que cuida de crianças com câncer...bem como a que atende a aidéticos.

Tão importante quanto a energia do jogo é a energia da solidariedade...

E ela voa como a bola em direção ao gol...

...só que, coletivamente, vai além dela, auxiliando quem está num jogo muito mais duro pra sobreviver!

Valeu, meninas, mães, e guerreiras pela vida afora!

NÃO SE OMITA,

OPINE

LIBERTE-SE!

CONFIRA AS ENTREVISTAS


Reportagem e texto: Alai Diniz e Marco Pezão 

Fotos e edição de vídeo: Marco Pezão

A Diana Araujo Pereira, gratidão pelo auxílio com o audiovisual.


DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO

POESIA SEM MISÉRIA

A VÁRZEA É ARTE

A VÁRZEA É VIDA

PARTICIPE!


Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo