domingo, 30 de abril de 2017

Vem aí a 1ª Copa Titânico 50tão!

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

O Titânico está organizando sua 1ª Copa 50tão. Uma novidade aqui na região.

Me lembro que por volta de 2001, trabalhando em Taboão, com o prof Said e o Melão, na secretária de esportes, de quando criamos o 1º Campeonato Masters 45...

Na época, inclusive o prefeito, desdenhou. Que não haveria nem dez times inscritos. 

E para alegria nossa fizemos um torneio início com 18 equipes, e as competições tem sido bacanas até hoje.

Com os 50 anos acima tem sido o mesmo. Começou a rolar e logo a categoria se firmou, a ponto almejar seu campeonato próprio no CDC Cleuza Bueno.

E a Copa Titânico 50tão vem em boa hora. São muitas as equipes que circulam pelos Centros Desportivos Comunitários e reuni-las num só evento será prazeroso em vários aspectos. 

Esportivamente social, a várzea é aglutinadora. Lugar de lazer, fazer e reencontrar amigos.

Às inscrições estão abertas. É só seguir o mapa da mina:


Pra ilustrar a matéria, segue a pintura do gol do Nelsão, do Titânico, no jogo niver Martinica. 

O detalhe da batida da bola. Entre o peito do pé e o três dedos...

A curva acentuada ganhou força e altura, fugindo sempre do alcance do goleiro Fernando...

Aê 50tão, venha curtir essa alegria na Copa Titânico.

Valeu Nelsão, por protagonizar mais esse lance inesquecível em nossa várzea...

...aqui para nós do Futbolando.

Reportagem: Marco Pezão

DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO: 

POESIA SEM MISÉRIA

A VÁRZEA É ARTE

A VÁRZEA É VIDA


PARTICIPE!

Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo


sábado, 29 de abril de 2017

SAPY completa 49 anos de uma história bacana

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

A família SAPY esteve presente no domingo, 23, no CDC Pq Ipê, para comemorar os 49 anos de fundação da entidade que deu origem a essa valorosa agremiação da várzea zona sul.

A árvore à esquerda da escadaria de entrada chama-se pau ferro e foi plantada pelo fundador e então jardineiro Manezinho, simbolizando a resistência varzeana protagonizada pelo SAPY.

O repórter Marco Pezão, na missão, ao lado do Manezinho e o Jair, ambos responsáveis pela criação e manutenção desse espaço durante décadas... 

Em campo, o festival comemorativo começou com o futebol social da comunidade. 

Quando cheguei já tava no final, mas cliquei o Videira no momento do arremate do seu segundo gol marcado na partida.

A domingueira varzeana aqui no CDC Pq Ipê começa às 7h da matina.

O aniversariante SAPY Masters deu sequência a programação...

E enfrentou o Cruzeiro, do Embu das Artes,

Enquanto isso, o Serginho Poeta, que tinha feito um golaço no jogo da comunidade, declamou um poema para o Poesia Sem Miséria no Ar...

Jair e Manezinho dão o duplo pontapé inicial. Amizade que ultrapassou as quatro linhas do campo. 

Com a categoria costumeira, o cruzeirense Morota domina no peito e conversa com a menina... 

 Na equipe do SAPY, de mesma linhagem, o Pelé pede calma...

 Marco, meu xará, ajeita com estilo...

Diego foi quem abriu o placar para o SAPY, e incomodou o adversário com seus disparos...

Aos poucos, o Cruzeiro se acertou em campo e passou a ameaçar.

Nessa defesa, o goleiro Edson tirou com o pé...

A pressão continuou e Ricardo aproveitou o rebote de um cruzamento pra guardar na rede: 1 a 1...

Veio a segunda etapa e time visitante sentiu-se em casa. 

Cruzamento da esquerda e Carlão aplica o cabeceio...

Focando e tirando do goleiro Edson...

Com direção ao canto, pra ninar na malha...

O gol merece a vibração: 2 a 1.

E o árbitro Jurandir Madruga foi pego pelo nosso tira-teima...

Morota, de posse da bola, dá o passe medido às costas do zagueiro...

Carlão, em posição regular, a meu ver...

Se projeta para emendar ao gol, que foi invalidado pelo árbitro Madruga acusando impedimento. 

Mas o Cruzeiro consolidou a virada em jogada pela direita.

O camisa 83 é o Nivaldo, que também é técnico mantenedor do time. 

Ele entrou na peleja e tava no lugar certo pra receber a bola...

 E então com o gol vazio a sua frente...

Fez o que mais desejava...

Fotografado gol para mostrar para a vovó e os netinhos...

Na sequência das disputas, o Veteranos SAPY...

 ...venceu o União de Amigos, do Pq do Engenho, por 3 a 1, com gols de Diego, Igor e Gleidson...

Rapaziada do Cruzeiro curtindo o domingo no Parque Ipê...

O SAPY é aglutinador e o Centro Desportivo Comunitário PQ Ipê tem função social importante em nossa região...

Denilson, o churrasqueiro, e Sonia, no apoio, para que todos fiquem a pampa...

Em meio aos cumprimentos, Manezinho, de boné, entre os netos que formam a nova geração SAPY...

Esse é o esporte do SAPY, o 1º quadro, que fez ótima partida...

IVO, O MONSTRO DO JOGO,
FALA À REPORTAGEM:



...e goleou o Pingados pelo placar de 5 a 1.

Na cantina, o Daniel Jeová, Angélica e Júlio atendem a todos na maior simpatia...

Pelo número de cliques e pessoas registradas percebe-se o valor da cultura varzeana em seus encontros domingueiros...

Na foto, sentado, o Gleidson, que marcou na vitória do Veteranos SAPY, e o pai Zé Hilton, em pé, primeiro a direita, que ainda desfila categoria no sintético. 

Terrão ou gramado sintético? Há quem prefira o campo de terra batida, mas a geração carpete aprova...

O time coirmão do SAPY, o Sempre Nóis venceu por 3 a 2...

...o Jeito Moleque, do Jd Catanduva.

E, fechando o festivo dia, uma ótima novidade. 

O futebol feminino entre as meninas do SAPY e as Casaretes.

Foi uma atração a parte. Surpreendeu na qualidade de algumas jogadoras, e pela garra coletiva...

Um empate de 2 a 2 com direito a golaço e decisão do troféu nos penais.

É o que vc vai conferir na próxima reportagem.

Grandioso SAPY. 

Que os caminhos do entendimento acompanhem sua trajetória. A várzea zona sul o parabeniza e agradece!

Vida longa!

Reportagem e fotos: Marco Pezão

DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO: 

POESIA SEM MISÉRIA

A VÁRZEA É ARTE

A VÁRZEA É VIDA

PARTICIPE!

Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo


sexta-feira, 28 de abril de 2017

No SAPY, o futebol feminino vira atração maior!

I LOVE LAJE NO FOMENTO À CULTURA DA PERIFERIA

Uma disputa calorosa foi o jogo entre as Casarets, do CDC União Uleromã, do Jardim Umuarama...

...e o time de convidadas que representava o Sapy. 

Algumas das jogadoras vieram da zona Leste para disputar essa partida, que agradou em cheio quem foi assistir. 

Empate de 2 a 2, seguido de pênaltis. Confira os lances desse empolgante duelo.

Nesse lance, por exemplo, o embate é frontal...

...e à força do chute da camisa 10 corresponde, por parte de Adriana, um movimento corporal de proteção...

...de Letícia as mãos atracadas às companheiras, encarando a bola em posição de combate...

...e a mirada de Brenda que sobe o antebraço para defender o belo rosto e a malha da gaiola.  

Aqui as jovens representantes do Sapy comemoram o primeiro gol de Karen, no meio da primeira etapa...

Matar a bola no peito não é tarefa simples pra quem tem seios...

...mas essa jogadora sabe como e onde, e se inclina pra isso, deixando Larissa no olho...

O gol de Adriana, que  já havia tentado outras duas sem êxito...

...desta vez não deu outra, a bola passou deslizando à frente das pernas da goleira Jéssica...

que, apesar de toda ginástica, não impediu e viu a gorduchinha ir beijar a teia.. 

E aí vem a vibração de Adriana com um sorriso glorioso captado pelo fotógrafo, no auge de seus 16 anos...

A cearense, de Madalena, que começou a jogar aos 9 anos e aprendeu vendo o pai, excelente jogador, é hoje sua herdeira!

Jennifer, goleira das Casarets, aqui parece dar um passo de balé clássico chamado espacate. 

Não deu pra conter o chute de Natália, que lambeu a trave pra ir dormir na rede, ampliando o placar do Sapy para 2 a 1... 

Entretanto, pouco depois, corre Adriana resoluta e prepara o chute da intermediária, mesmo assim fatal... 

A bola passa altaneira pelo corpo esticado de Jéssica. Todo esforço da goleira em vão. 

Uma pintura. Golaço por cobertura, a bola viajando mansa...

...e certeira rumo a malha da gaiola.

Além do placar de 2 a 2, com toda essa firmeza, certamente, Adriana conquistará seu sonho:

"Ser jogadora pra dar uma condição melhor de vida pra minha família!"

É uma narrativa de guerra. E com o empate, a partida segue com suas peripécias...

Mas, mal as Casarets empatam, o que vem a seguir? 

Brenda é expulsa! 

Madruga com um cartão vermelho escurece o desejo de Brenda de seguir lutando nessa guerra...

...e Carla, defendendo a colega, condena o juiz Madruga, que, então apitava o sexto jogo do dia.  

Carla deu duro na partida. Marcou, correu, encarou e defendeu. 

E ainda atendeu os pedidos nervosos do técnico Zé Roberto, que outro dia filosofou o seguinte argumento:

-  Futebol não é pensamento, é raciocínio...

Mas de onde poderia vir esse rosto preocupado de Carla? 

Me arrisco a pensar que seria com a batalha seguinte. 

Fim de jogo, empate de 2 a 2 e a decisão para tomar posse do troféu vai para a disputa de pênaltis. 

A capitã das Casaretes abre a série e dá moral pro time cobrando com perfeição, 1 a 0... 

A seguir, a casarete Jennifer defende o chute de Danila...

..e a goleira Jessica agarra a bola batida por Marina...

O SAPY errou mais uma vez com Beatriz que mandou além do travessão...

As Casaretes abrem 2 a 0 no arremate de Larissa...

...que vibra muito com mais esse gol!

Jennifer estava impossível e também pegou o chute da Irlanda...

A goleira Jennifer fez boas intervenções durante o confronto e se destacou em baixo dos três paus na hora dos penais...

Jennifer sorri...

...e a Irlanda fica jururu... 

Aí foi a vez da Jéssica brilhar, espalmando a cobrança de Letícia...

Dessa vez não deu, Letícia. Faz parte do show!

Finalmente, Natália consegue marcar para o SAPY, que encosta 2 a 1. 

Outra vez a guardiã Jéssica faz a diferença e segura o disparo de Adriana...

Adriana, autora dos dois gols das Casaretes, jogou muito... 

Mas, desapontada, fixa o olhar a sua frente...

O Feminino SAPY ganhou confiança com Tamires que empata a disputa em 2 a 2.

A decisão vai para os chutes alternados, Giovana acerta o alvo: 3 a 2.

Firme, firme, garotinha. Chuta que a bola é sua.

A camisa 10 do SAPY mandou bem: 3 a 3.

Julia cobra com firmeza e acrescenta: 4 a 3...

A seriedade da Júlia, Cobranças de pênaltis é emoção maior...

Sem chance pra Jennifer: 4 a 4.

É nóis na fita, SAPY... 

Daí no duelo entre as goleiras, Jessica levou a melhor sobre a Jennifer ao fazer a defesa...

O árbitro Madruga encerrou a disputa contabilizando 5 a 4 pro SAPY...

Mas pra nós fica uma dúvida!

Pela contagem das fotos nos chutes alternados, o SAPY tinha que chutar mais um... 

A equipe do SAPY faz pose com o troféu conquistado. Parabéns.

O que vale é a iniciativa. A importância de incentivar o futebol feminino nos Centros Desportivos Comunitários.

Ao longo do dia, a peleja delas foi quem atraiu maior público.

Colorindo a arquibancada, a diversidade. 

CDCs varzeanos: o futebol feminino merece esse espaço.

E nós aqui do Futbolando estamos na labuta diária! Toda força à elas!

Levar a arte ao campo e fazer do CDCs um espaço de arte, é mais que um desejo. É compromisso!  

Parabéns SAPY pela iniciativa



Texto e vídeo: Alai Diniz
Fotos e edição: Marco Pezão 

DO CAMPO LIMPO AO SINTÉTICO: 

POESIA SEM MISÉRIA

A VÁRZEA É ARTE

A VÁRZEA É VIDA

PARTICIPE!

Esse projeto foi contemplado pela 1ª edição do Programa de Fomento à Cultura da Periferia da cidade de São Paulo